HOME Multimídia

Multimídia

Fique por dentro...

Equipe da Fundação José Hilário de Souza em conversa com os profissionais da Casa Dom Bosco
Referência: Casa Dom Bosco apresenta sua experiência à fundação que desenvolve o Serviço de Acolhimento Institucional

Fonte: Casa Dom Bosco

A equipe da Fundação José Hilário de Souza, de Pedro Leopoldo-MG, visitou no dia 16 de fevereiro a Casa Dom Bosco, em Belo Horizonte-MG. O intuito da visita foi que os profissionais pudessem conhecer o trabalho realizado pelos Salesianos. A Fundação também desenvolve o Serviço de Acolhimento Institucional e pretende reestruturar o serviço existente, além de abrir outra unidade.

A diretora da Fundação e presidente do Conselho Municipal de Direito das Crianças e dos Adolescentes (CMDCA), Lea Alves; a coordenadora do Serviço de Acolhimento, Juliana Lages; a psicóloga Elaine Tavares; e a assistente social do Centro de Referência Especializado em Assistência Social (CREAS), Kelly Silva foram à Unidade em busca da experiência da Casa Dom Bosco, que se destaca no trabalho de acolhimento de jovens adolescentes em Belo Horizonte. As profissionais de Pedro Leopoldo foram recebidas pelo diretor Ronald Campos; a articuladora social, Cleuza Santos; a psicóloga Michelle Hottes; e o assistente social Marcelo Bleme, que explicaram detalhadamente o funcionamento da Casa Dom Bosco.

Lea começou pontuando o desafio de acolher as crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade de forma digna, como pessoas e cidadãos completos. Cleuza destacou que a possibilidade de convênio com a Prefeitura é um ganho para a instituição que conta atualmente com 21 funcionários. A equipe da Casa Dom Bosco explicou o funcionamento de todo sua estrutura, desde o serviço de limpeza e manutenção, alimentação e toda documentação necessária para o acompanhamento dos 15 adolescentes que a Casa acolhe. Diante das exposições, Lea declarou: “é uma tranquilidade saber que um trabalho assim é possível e nós também podemos chegar lá”. São cozinheiras, equipe técnica, educadores sociais, manutenção de serviços gerais, além da gestão que assegura o funcionamento da unidade.

Os colaboradores da Casa Dom Bosco ressaltaram a importância do resgate dos vínculos familiares e laços afetivos entre os adolescentes, suas famílias e padrinhos. “A sistematização do trabalho é fundamental”, explicou Cleuza, enquanto a equipe técnica apresentava os diversos formulários em que toda a dinâmica da casa é registrada. Cleuza destacou ainda a importância da pedagogia de Dom Bosco, como por exemplo o “Bom Dia”, que é um momento de espiritualidade entre os adolescentes e os educadores, que acontece todos os dias de manhã.